Por Parte de Pai
\

Por Parte de Pai

A prosa poética universal de Bartolomeu Campos de Queirós encontra na atuação de Nathália Marçal e encenação de André Paes Leme um pouso perfeito para o livro “Por Parte de Pai”, título homônimo do espetáculo, em monólogo.  A montagem estreia em Belo Horizonte, no Teatro Alterosa, de 27 a 29 de junho, quarta a sexta-feira e segue para Betim. Depois, cumpre temporada no Rio de Janeiro e São Paulo.

“Por Parte de Pai” é uma homenagem a Bartolomeu Campos de Queirós, falecido em janeiro, e esta montagem tem em seu arcabouço alguns dos mais destacados profissionais da área: o multiartista Ronaldo Fraga responde pelo cenário e figurino; Marcia Rubin, pela preparação corporal e direção de movimentos; Renato Machado, desenhos de luz; Pedro Veríssimo, trilha sonora, Rose Gonçalves, preparação vocal e Tatyana Rubim, produção.

A encenação é um convite ao espectador para uma viagem nos caminhos curvos da memória de uma infância. A personagem revive intensamente o período em que esteve ao lado dos avós numa cidade do interior, e recupera o prazer e os medos daquela convivência tão determinante para a sua personalidade. A descoberta da vida, do amor, e a percepção concreta da perda marcam uma narrativa poética e sensível sobre um tempo que não tem pena e que não retorna, a não ser quando chamado pela saudade. A cena acompanha a delicadeza e sensibilidade das palavras de Bartolomeu Queirós e busca, na força das suas imagens, através de uma narrativa ora angustiante ora leve e divertida, a principal fonte de comunicação do espetáculo. É muito provável que o público, após testemunhar este depoimento singelo e comovente, acabe por desfrutar daquela que certamente é a mais bela das funções da arte do ator: fazer com que cada um de nós mergulhe corajosamente na sua própria história de vida.

Segundo o encenador André Paes Leme, “Nathália revela ser uma atriz muito sensível quando, corajosamente, aposta no desafio de fazer da poética literária um emocionante depoimento teatral. É uma jovem atriz que dá os primeiros passos dando um ótimo exemplo de compromisso com a arte que escolheu para se expressar”. Ronaldo Fraga lembra que já conhecia a obra e que quando integrou o projeto já tinha uma ideia preconcebida: “o figurino segue a linha de não pontuar tempo nem gênero. Utilizo o linho, madeira e marfim que apresentam cores e texturas que sempre me remetem à memória. O cenário tem sobreposição de mesas e objetos, que acompanham a linha do tempo das memórias do autor”, completa. A produtora Tatyana Rubim coloca que “contribuir para o trabalho de jovem artista, como a Nathália, é uma experiência única. Ao mesmo tempo, é fascinante vê-la construir esta narrativa, amparada por profissionais de natureza sensível e precisa. O diretor e sua equipe é presente dos anjos, que nos envolveram no universo do Bartô. É emoção pura”, afirma.

Realização: APPA e Nathália Marçal

Incentivo: Patrocínio da Fiat e da Aethra, com os benefícios das Leis Estadual e Federal de Incentivo à Cultura

Bilheteria: horário de funcionamento: terça-feira a domingo, das 12h às 19h30 e nos dias de espetáculos até o horário de início da apresentação.

Classificação: 12 anos

Duração: 60 min

  • Data
    Dias 27, quarta e 28, quinta, às 20h e 29, sexta, às 21h
  • Local
    Teatro Alterosa Av. Assis Chateabriand, 499 - Floresta
  • Ingressos
    R$ 5,00 (inteira)
  • Direção
    André Paes Leme
  • Elenco
    Nathália Marçal
  • Outras Informações