Os Homens são de Marte… e é prá lá que eu vou!
\ \

Os Homens são de Marte… e é prá lá que eu vou!

O texto e a interpretação de Mônica Martelli, com direção de Victor Garcia Peralta, em “Os Homens são de Marte… é pra lá que eu vou!” faz gargalhar o público do teatro, da televisão e do cinema, tratando do grande dilema vivido pelas mulheres solteiras: a busca de um grande amor. Sob a premissa de que toda mulher já foi, é, ou será protagonista desta história de aventuras, ilusões, alegrias, tentativas, desencontros, equívocos, adrenalinas, dúvidas e solidão, a atriz coloca em cena Fernanda, de 39 anos, solteira, jornalista formada, mas que trabalha com eventos e organiza festas de casamento. De uma forma muito divertida e emocionante ao mesmo tempo, e com um final surpreendente, a peça fala do amor e da falta dele. Tudo isso com um tipo de humor que as mulheres conhecem muito bem: rindo das suas próprias desgraças.

Na peça, Fernanda está em busca do amor e se envolve tão intensamente com os vários tipos de homens que chega a ficar muito parecida com cada um deles, independente dos tipos físicos, das condições sociais, raciais ou econômicas. Cada homem que ela encontra pode ser seu grande amor. Quem sabe, não é? Fernanda se envolve com um político, com um playboy rico, um alternativo do Sul da Bahia e um gay. O tempo que ela gasta com os homens daria para dar uma volta ao mundo e ainda ter estudado a história de todas as civilizações. Mesmo assim ela insiste porque para ela a vida sem um amor é uma vida em preto e branco. Na verdade, a busca pelo amor pode ser uma oportunidade de aprendizado. Mas para quem está solteiro não é bem assim. É castigo. Quem está solteiro quer encontrar um amor e ponto final. Só não sabe como.

Nove anos em cartaz. Mais de 2.000 apresentações. Dois milhões de espectadores. Dois anos no Rio De Janeiro e dois Anos em São Paulo. Foi apresentada por todo o Brasil, de Manaus a Porto Alegre, em 2011/2012. Foi apresentada em Lisboa, Portugal, em 2012. Percorreu mais de 40 cidades em 20 estados do País. Prêmio Melhor Comédia – Qualidade Brasil 2006. Prêmio Melhor Atriz – Qualidade Brasil 2006. Prêmio Melhor Direção – Qualidade Brasil 2006. Indicação para oPrêmio Shell De Melhor Atriz 2005. Indicada para O 1º Prêmio Contigo de Teatro como Melhor Espetáculo de Comédia.